Conferência Semana da Vida - 10/05/2018

Conselho Pastoral - I

Brevemente a assembleia paroquial será chamada a pronunciar-se sobre a constituição do Novo Conselho Pastoral já que este chega ao fim do seu mandato de três anos. Por isso, a partir de hoje iremos explicando a função e missão deste Conselho Pastoral.
O que é?
O CP é um grupo de cristãos, eleito pelos paroquianos e, alguns escolhidos pelo pároco, que têm por missão ser um elemento motor do processo de renovação da paróquia ao serviço da missão de evangelização.
Ele serve a comunhão e a missão de toda a paróquia para que a vontade de Cristo se cumpra nela e para que o Evangelho seja vivido e anunciado ao maior número possível.- Compete-lhe discernir os apelos do Senhor para a paróquia, no nosso tempo, aqui e agora, bem como as necessidades e as aspirações das pessoas que fazem parte dela quer sejam cristãos ou não. Para isso deve escutar as pessoas através de sondagens quantitativas e qualitativas e de outros meios de escuta do sentir das pessoas.
Fundamentalmente o Conselho Pastoral está na escuta da voz do Espírito Santo. D’Ele recebe a visão pastoral para a paróquia para ser capaz de a formular numa frase que todos entendam e que a todos galvanize e entusiasme. Depois de definida a visão pastoral define as orientações missionárias e escreve o projeto paroquial de evangelização. Forma projetos com objetivos concretos, com estratégias, com atividades, com responsáveis, meios e datas. Faz a avaliação das experiências vividas, verificando a docilidade ao Espírito Santo e sugerindo ajustamentos necessários. Ele trabalha em colaboração com o Conselho para os Assuntos económicos da paróquia assim como este deve trabalhar em comunhão com Aquele. (CPAE)

Passeio dos catequistas 2018

Os catequistas de S. José, rumaram em dia de convívio e passeio, no dia 25 de Abril até Monsanto. Partiram às 7:30, pelo caminho rezaram as laudes, e chegados a Monsanto, celebraram a Eucaristia ao meio dia. O P. Jorge, presidiu à Eucaristia. Depois do alimento espiritual foram para o almoço num restaurante local. Ainda houve tempo para uma larga visita ao castelo de Monsanto contemplando, a partir das alturas do Castelo, a imensa vastidão de paisagem até perder de vista. Já na vinda, ainda se foi visitar o jardim do Paço episcopal de Castelo Branco. A volta foi bem animada a ouvir o Manuel Oliveira a cantar as cantigas do seu tempo e a desejar que o tempo voltasse para trás. É bem animado o nosso sacristão. Claro que o mais importante fica por transmitir; a amizade partilhada, os sons, os cheiros dos campos cheios de relva onde pastavam os rebanhos e os risos de alguma piada que foi dita. O José Saraiva gostaria de trazer consigo tudo o que via e, por isso, passava o tempo a fotografar tudo. Trazemos assim connosco, uma memória cá dentro, e outra fora, nas fotos que ele trouxe consigo. Aqui deixo a mais oficial, que é a foto de grupo. A ele também os nossos agradecimentos bem como a toda a equipa fantástica de catequistas. Para o ano há mais.

Adoração Eucarística - Coragem

Gente de todas as idades, acorrem de hora a hora, para estar com o Senhor: “Permanecei em mim e eu permanecerei em vós». É edificante o amor que tantos irmãos têm pelo Senhor presente na Eucaristia! E mais ainda quando essas horas são durante a noite. Enquanto o mundo dorme, Deus salva.
«De noite descia a escada misteriosa junto da pedra onde Jacob dormia,
De noite celebravas a páscoa com teu povo, enquanto nas trevas caíam os inimigos.
De noite ouviu Samuel três vezes o  seu nome e em sonhos falavas aos santos Patriarcas,
De noite, num presépio nasceste, Verbo eterno, e os anjos e uma estrela anunciaram a Tua presença,
À noite celebraste a primeira Eucaristia no meio dos teus amigos na última Ceia,
À noite agonizaste no Jardim das Oliveiras e recebeste o beijo frio da traição.
A noite guardou o teu corpo no sepulcro e viu a glória da tua ressurreição. Na noite da nossa vida, com a luz da fé acesa , esperamos alegres a tua ultima vinda.”
Precisamos de mais voluntários durante uma hora por semana, de noite, aguardando a sua vinda às nossas almas.  Coragem!